Garrafas CoMet

© Amtrol-Alfa

Os objectos encontrados nesta página ganharam prémios de design, são um exemplo de inovação nacional e de parcerias de sucesso entre universidades e empresas. Mas não existem.

Tratam-se de garrafas portáteis de GPL (gás de petróleo liquefeito), também conhecidas como botijas de gás butano. Compostas por um cilindro de aço revestido a Twintex® (material feito de fibras de vidro e polipropileno) e inserido num invólucro de polietileno ou polipropileno de alta densidade, pertencem a uma família de garrafas de tecnologia compósita que a empresa de Guimarães Amtrol-Alfa tem vindo a desenvolver desde 2003, em parceria com o Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e o Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho.

Quando foi lançada em 2005, a primeira das garrafas desta família era mais leve, segura, económica, fácil de transportar e apelativa que as botijas tradicionais. Chamava-se Pluma. Foi projectada pela Brandia, que não fez só a garrafa (desenvolvida no departamento de design de produto da agência, então liderado pelo designer Rui Sampaio de Faria): fez o produto Pluma. Deu-lhe um nome, um logótipo, uma razão de ser, uma história. Contada numa campanha de lançamento que associava características intrínsecas da garrafa – leveza, formas curvilíneas, cor quente – a uma certa ideia de sex-appeal: a Galp, a partir daí chamada Galp Energia, passou a ter duas novas embaixadoras: a Pluma e a “menina do gás”.

Por razões de logística e mercado, a Galp não substituiu todas as suas garrafas por Plumas: elas coexistem hoje com as velhas botijas de aço e as garrafas da concorrência. Mas a Amtrol-Alfa quis dar continuidade à pesquisa então começada. É então que Carlos Aguiar, professor convidado da FEUP e o mais premiado designer industrial português, passa a liderar a equipa que projectou as garrafas aqui representadas.

Tendo características técnicas semelhantes às da Pluma, elas têm ainda “uma maior flexibilidade de aplicação de válvulas diferentes e uma ergonomia das asas ligeiramente melhorada”. As suas linhas dinâmicas também sugerem serem mais leves do que são – um elemento de design tão intangível quanto fundamental.

A sua fácil adaptação a sistemas de gás engarrafado que não o português levaram-nas a outros países e mercados. Desde à Austrália, onde a empresa Elgas as vende como garrafas verdes e pretas “Snap and Go”, à Venezuela, cuja companhia estatal PDVSA Gas Comunal as coloriu com as cores e estrelas da bandeira nacional. Nas ilhas Canárias, a Disa deu à sua nova bombona o nome “nu-b” e a cor branca, integrando-as semanticamente no universo da cozinha; no resto de Espanha e, também, em Portugal, as K6 e K11 são distribuídas nas cores da Repsol: azul, laranja e branco.

Como se vêm aqui, estas garrafas não existem: são os clientes da Amtrol-Alfa que as tornam em produtos, as “fazem existir” para além da fotografia e segundo as suas necessidades. Para Aguiar, “a CoMet é um produto “aberto” da Amtrol-Alfa que permite aos seus clientes construírem sobre ela “produtos” com “imagens” e “marcas” próprias.” São portanto “um produto com a imagem “em aberto””, além de serem “umwork in progress que tem contaminado outros segmentos e mercados” como o náutico, os gases refrigerantes ou mesmo os grelhadores de exterior (como os criados pela empresa portuguesa Silampos, especificamente para estas garrafas).

Estas garrafas de gás são um exemplo de como o trabalho de um designer industrial, apenas um elo de uma extensa cadeia de decisões, condicionantes, mercados e pessoas, é crucial para o sucesso de qualquer produto. Mas que não existe no vazio. Como diz Aguiar, “o nível de desempenho de um colectivo é ditado pelo elo mais fraco da cadeia (como na alta fidelidade), pelo que bom design numa equipa fraca não faz milagres, nem o contrário”.

BI
Garrafas de gás CoMet

Design
Carlos Aguiar

Cliente
Amtrol-Alfa

Datas
2003 (início do projecto)
2005 (lançamento primeira garrafa CoMet Pluma)
2006 (primeira nova CoMet no mercado — 24L, Bulgária)
2007- 2009 CoMet chegam às Canárias, Austrália, EUA, Venezuela e Cabo Verde)

+ info: www.amtrol-alfa.com

2 Comments

  1. excellent publish, very informative. I ponder why the other experts of this sector don’t understand this.
    You should continue your writing. I’m confident, you have a great readers’ base already!

  2. In other cases, a particular model of a car may be dropping from the market,
    or perhaps the rates for the vehicle are increasing.
    This means that after making your payment on the first month,
    your principal balance on the second month will be $199,444.
    Article Source: a car with adverse credit is not always easy unless you
    find the right company to deal with.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *